Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

A sumir.

______________________
____________________________
_________________________________

Sábado último saí com meu amado ao inter-lúdio de gente que trabalha e necessita tempo pra se amar. A gente vive trocando exploração de lugares que, hora eu não conheço, hora ele não conhece. E é como um convite: “venha ver um pouco do mundo que elejo”.

Num bar, ao som de uma boa MPB/Pop Rock, entre churrasquinho de filé e caldinhos de feijão: a brasileirade da “loira-gelada”... Eis que chega o “despeito”! Por que pessoas amebas não evoluem? Seria culpa do criacionismo, ou, do evolucionismo? Ou culpa do inexistir de ambos para tais criaturas?! Não sei.

Sei que a indiferença é uma arma certeira para esse tipo de “gente-coisa”. E que, além do registro de exemplo a quem interessar possa, o despoluir mental também é vazão em “Maçã”. Esse blogue tem que ter muita utilidade, incluindo as MINHAS! [risos]

Um bater de cadeira como quem pede: “Atenção para mim, por favor!!!” Um encare-carão quando volto do WC, já leve e desprovida de dejetos. E um nada em resposta. Nada a declarar a quem me ligava de uma insanidade histérica me chamando de puta e de outros adjetivos inóspitos sem propósito, ou melhor, com propósito cabidos só a quem emitia-os! Uma falta de desculpas seguida de dívidas em dinheiro não-pagas (maldita hora que emprestei meu cartão! LIÇÃO!!!). Não adianta. Tem horas que o “ser feliz dos Outros” dói em quem não o sabe ser.

E, como sei que meu blogue é visita certa pra sua vidinha-sem-graça.

“Amebinha”, eu estou bem! Melhor do que sempre estive. De todo os desabores que a Vida me dá, Deus sempre escuta quando O digo que não me confunda com , e me presenteia com [re]vigor, tá? Sabe aquele cara que você tanto quis obsessivamente e almejava me manipular para suas tramóias, “limpando barra” para o irmão dele que eu nem queria ficar? Aquele carinha não te escolheu!!! Rárárá!!! E o outro, o que se enveredou pro meu lado -- não importa com quem se envolvia ou se envolve -- o “zéfini” foi TODO MEU PRA ELE!!! E já tem tempo que EU disse NÃO a infelicidade!

De quebra, ainda o fiz o favor de não usá-lo mais. Coisa que você não sabe: não usar as pessoas! Feito as suas amiguinhas-colegiais de sábado, que você insistia em jogar pra cima do meu namorado, o qual, RIA e me falava de cada provocação insinuativa e de cada encaradinha que as coitadas davam pra ele! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... O papel de ridículo sempre acaba saindo pela culatra e termina em diversão. E não é que você foi A palhaça-da-noite que tava faltando pra gente rir, quando o cansaço já estava batendo?! Não posso deixar de dizer: obrigada! Porque a noite rendeu, e COMO!!!

Chegar exaurida às 10 da matina ontem da noite de sábado, com gosto foi um presente!

Mas... Não adianta querer vir falar comigo, segure ou não a sua onda da minha recusa. Continue com seu texto a quem me conhece do tipo: “eu nunca falei dela! Nunca fiz nada pra ela! Blábláblá, blábláblá”. Bah! Esqueça de querer me dizer bom-dia ou outros “ois”. Esqueça ao menos isso! É... Porque ME esquecer não lhe é capaz (e nem a outras da sua laia, claro!risos).

E tenho dito. E feito! Porque falar e fazer implica em ASSUMIR! Embora, para algumas “pessoas-amebas” a compreensão disso não alcance.



[De cara-limpa, sem mackup.

E o peculiar olhar-blasè

às inevitáveis

ações-dejeteis.]





Agora me digam se "pessoas-amebas" não cansam de tão previsíveis!

Só a arte de há-mar salva da mesmice-humanitária-alheia.

Eu seria uma alienígena, então?! kkkkkkkkkkkkkkkkk...


_______________________________________________

___________________________________________________________

_______________________________________________________________________

[Imagem by arquivo pessoal.]

*

*


*

Beijos [in]diferenciados.

4 comentários:

Paula Calixto disse...

Não há como evitar: eu sou de morder!

Mas, mastigo e jogo o bagaço -- por uma via ou por outra.

E re-comendo! [risos]

_______________________

Beijos nim tudo.

paula barros disse...

Imagino o quanto você deve ter ficado chateada.

Eu daria o silêncio por resposta.

abraços

Paula Calixto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paula Calixto disse...

Paulinha, xará... Eu nem esquento muito. Só registro o deboche pra dar vazão de correnteza, senão o dique arrebenta. Aí, só G-zuis salva! kkkkkkkkkkkkkkkkk... É O silêncio mesmo: não dou nem uma olhada percebida pra gente-ameba! Principalmente essa aí e outra da corja dela!!! Qualquer dia conto o ponto todinho, viu? [risos]

Beijocas.