Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

domingo, 5 de outubro de 2008

Conceito de significado.

*

*

*

Quando setembro flor-ido, primavirá o verão.”

[Ao som de "Body and Soul" - Tori Amos]

Difícil definir felicidade. Ela é um movimento de cada um. Tem relação com cada um. No Um do seu momento – do seu presente. Esteja esse “hoje” aqui, ou, no passado, onde for. Porque felicidade é algo que exime mutabilidade. E mutação não cabe em definir.

Conceituando...

Com...

- Sei!

Tu?

- Ando!

Quando a gente conceitua felicidade, sempre incluímos um Outro – sabido/não sabido – em nossos lençóis-de-trama.

O descontrole é a demanda.

A paisagem muda, sempre.

E não há mal nisso!


“Acreditar no mundo é o que mais nos falta, nós perdemos completamente o mundo, nos desapossaram dele, acreditar no mundo significa principalmente suscitar acontecimentos, mesmo pequenos, que escapem ao controle, ou engendrar novos espaços-tempo, mesmo de superfície ou volume reduzidos.

[Deleuze]



______________***_____________


[Trecho inicial, em itálico, by transFLORMar-la.

Imagem by "pai"Google.

Som by "tio"Youtube.]

*

*

*

Beijos conceituados.

6 comentários:

Paula Calixto disse...

Porque as coisa não têm a menor obrigação de seguir [sem-graça] as mesmas!

Beijos nim tudo.

Paulo R Diesel disse...

Temos obrigação então, Paula, de mudar? Mudar sempre?
Mas e mudando, mudando, mudando não chegaremos ao igual do início?
Sem conceito, sem mutações.

Beijo

Mila disse...

A Maça mais poderosa voltou com seus textos que fazem pensar... refletir... sentir o quanto ha para se aprender... e quão sabia vc é!!!
Sou sua fã sabia?????
Beijos Mila

Paula Calixto disse...

Paulo, é possível voltar ao início, depois de percorrido "um globo", sendo o mesmo? No entanto, o seu "globo" e o seu início são sempre seus. Distintos dos meus, por exemplo.

Tentarei [des]continuar isso em um próximo post: o que é para mim, para você, para todo e qualquer ser, nesse contexto.

E não importa concordar. Importa, sobretudo, [re]elaborar. Se permissivo for.

Beijos.

Mila, eu sou só um reflexo. Sacou?[risos]

Beijos.

ki-colado disse...

É Paulinha...

Sendo poeta notei que felicidade rima com liberdade. Curioso, que se me derem tudo, menos liberdade, serei um passarinho engaiolado...

E cadê o potêncial individual de cada um fazer uso da liberdade, se a coletividade aprisiona?

Cadê a coragem de aprender a voar?

Fazemos a nossa terraplanagem pq. um dia os outros precisarão ter nossas obras feitas em mãos.

F-E-L-I-C-I-D-E, é Utopia. Trilhar caminho direcionado à ela. É poder ser feliz. Mas, ser feliz.. dentro das gaiolas que estão ao dispor de cada um?

Eu ainda digo que Felicidade rima com liberdade...

Beijos... Paulinha!!!

Paula Calixto disse...

Ki-colado, adoro ver seus comentários, sua forma de entrar em si com o que lê é bem o propósito de quem se elucida, de quem mergulha. (:

E, diante do que disse, diante do que eu escrevi: "Não é o destino. É a jornada." (;

Beijos.