Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

[In]sti[tuição] de desejo




"O desejo diz: 'Eu, eu não queria ser obrigado a entrar nessa ordem incerta do discurso; não queria ter nada que ver com ele naquilo que tem de premonitório e de decisivo; queria que ele estivesse muito próximo de mim como uma transparência calma, profunda, indefinidamente aberta, e que os outros respondessem à minha expectativa, e que as verdades, uma de cada vez, se erguessem; bastaria apenas deixar-me levar, nele e por ele, como um barco à deriva, feliz.' E a instituição responde: 'Tu não deves ter receio em começar; estamos aqui para te fazer ver que o discurso está na ordem das leis; que sempre vigiamos o seu aparecimento; que lhe concedemos um lugar, que o honra, mas que o desarma; e se ele tem algum poder, é de nós, e de nós apenas, que o recebe.'


Mas talvez esta instituição e este desejo não sejam mais do que duas réplicas a uma mesma inquietação: inquietação face àquilo que o discurso é na sua realidade material de coisa pronunciada ou escrita; inquietação face a essa existência transitória destinada sem dúvida a apagar-se, mas segundo uma duração que não nos pertence; inquietação por sentir nessa atividade, quotidiana e banal porém, poderes e perigos que sequer adivinhamos; inquietação por suspeitarmos das lutas, das vitórias, das feridas, das dominações, das servidões que atravessam tantas palavras em cujo uso há muito se reduziram as suas rugosidades."


["A Ordem do Discurso",
by Michael Foucault.
Imagem by 100imagens]


Sei que pode não parecer, mas enxergo em todos os discursos de Foucault uma proposta de revolução interior.

Porque para mudar ao redor é preciso lançar o tornado primeiro dentro, a fim de desfazer a ordem castrante estabelecida pelo exterior e que além de não nos pertencer, nos poda!

De uma forma que nos limita à realização positiva de ser!

Beijos
UPDATE:

A Mila me passou um meme muito lindo!












O qual repasso, com todo Amor e carinho a outras 5 ferinhas das letras-bloguísticas! (;

São:

16 comentários:

Paula Calixto disse...

Porque a revolução começa no EU!

E como bem disse Lenonn:

"Eu sou egocêntrico. Mas quem não?!"

(;

Beijos nim tudo!

Juℓi Ribeiro disse...

Paula:

É sempre uma alegria receber tua visita.
Adorei o texto.
Tento sempre escutar a voz de minha revolução interior.
Me arrependi das vezes
que não a escutei.(Risos...)
Obrigada pelo carinho.
Um abração.

Régis disse...

Também gosto de ser iconoclasta, de desafiar o senso comum, de argumentar e provocar o contraditório, isso trás sentimento de VIDA, de troca e do eterno aprendizado, que é uma das maiores razões do EXISTIR.

Abraço Paula.

ki-colado disse...

Concordo que as vezes é necessário balançar os "sentimentos" para que o nosso mundo interno se organize adequadamente em todos os sentidos das nossas atuações equilibradas.

É como menciona a nossa bandeira nacional: "Ordem e Progresso".

Saudações Paulinha Calixto e fico Feliz que o seu Amor esteja no ar.

Junto com o nosso é lógico. [riso]

Paula Calixto disse...

Juli, também gosto muito das suas vistas! (:

Régis, que bom! O maior mergulho e a maior revolução que se pode fazer é dentro de si, na minha humilde opinião. Só assim, revolucionando por dentro tudo que precisa ser mexido e revirado para ser colocado na NOSSA ordem, podemos dizer a alguém que valha a pena: "entre e seja bem-vindo ao meu lar caprichado e arrumado!" [risos] (;

Ki-colado, Amor-próprio no ar, acima de tudo! E como você reforçou, é isso aí. Fico feliz pela sua felicidade, também! (;

Beijos mais em todos.

Rui Caetano disse...

O texto é muito interessante, prende a leitura e os conteúdo é muito bom. Gostei deste teu blogue, hei-de voltar.
A vida exige de nós que sejamos atrevidos e inventivos de nós mesmos, só assim encontraremos a nossa felicidade.

€aµ disse...

Paulinha...
Não sei se é o momento que vivo ou se é a expressão real do que sou e que de tempos em tempos fica mais latente, tanto que transborda em palavras e escorre pelos textos, mas é justamente essa revolução interior que sinto, ao ler Foucault, ao refletir no hoje e no agora. E o casando disso com esse meme que vc me ofertou (pelo qual humildemente agradeço e sinto-me honrada) me faz sentir ainda mais latentemente essa escrita da liberdade.

Beijos querida... muito obrigada pelo carinho de sempre e pelo presente.

Flavinha disse...

Paulinha, esse post tem tudo a ver com o meu... cada revolução pessoal é um nascer e renascer... benditos esses tornados que nos lavam a alma.

E que lindo esse seu presente!! Obrigada... me sinto lisonjeada por tê-lo recebido das suas mãos... Obrigada mesmo!!

Beijos, maçãzinha!

Paula Calixto disse...

€aµ, então somos duas (ou quem sabe mais! risos). (: Não há de que pelo presente.

Flavinha, também achei ambos parecidos. O interessante é que esse texto de Foucault me veio por acaso. Eu estava procurando outro texto e fui no impulso a Foucault. Só que nada acontece ao acaso, né? risos (;

Beijos a vocês, maçanzinhas!

Paula Calixto disse...

P.S.: Eu queria ter mais energias hoje para publicar. Mas o dia foi muito cansativo, principalmente pelo calor!!! Putz! Como tá quente aqui, viu?!

Beijos!!!

Anne disse...

Minha querida...primeiro quero agradecer a vc pela indicação! Fiquei facerona com o selinho q vc me deu (sem trocadilhos), kakaka.
Adorei mesmo, vou colocar amanhã na paredinha e arrumar os q estraguei...hasuahsuhasu. Fui tentar arrumar e ferrei com todos, mas amanhã dos jeito!

Quanto ao texto, tem a ver com o meu post tb...falei sobre o caos que se estabeleu na minha vida esses meses, mas impressionante como, depois de desarrumar td, as coisas ficaram mto melhores do q eram...estou mto feliz agora!

Realmente, as mudanças mais importantes vem depois do furacão, da revolução interna...

Bjokas, lindona...pena q nao nos falamos hoje, achei super divertido! Kakakaka

Bjosssssss

Girassol disse...

Ciclicamente eu passo por essas tempestades interiores que devastam tudo à sua passagem, interiormente e exteriormente.
Inevitavelmente, (re)descubro-me, e (re)descubro os outros, mas são essas revoluções que me mantêm lúcida e focada (até mesmo quando não tenho foco)!

Beijos.

Diego disse...

conseguir analisar a própria desordem, olhando pra dentro e levar isso para um convívio amplo seria a o fim da maioria dos problemas... nos fazendo sem limites!

beijo e obrigado pelo comentário =)

un dress disse...

manda calorzinho pra cá! :)

aqui dias a escurecer e a diminuir....porém aconchegantes, abrem essa possibilidade...

concordo contigo em relação a foucault e a que nada contece por acaso...

e sim, é preciso assumir o egoísmo pra não entrarmos em perversões e auto punições...! sem sombra de dúvida!!



beijO e abraÇo:)))

Paula Calixto disse...

Anne, pois é... Hoje mesmo, antes de ir para o trabalho, estava conversando com uma amiga querida sobre como o caos pode, e realmente, precede a ordem! Tudo parece uma bagunça sem fim, mas ao final (quando passa) vemos o quanto é importante. (: Ainda bem que você tem essa consciência, também! (;

Girassol, a vida é linha em ondas, né? Não adianta querer que as coisas, a vida seja uma reta só! Ela não é!!! E o nosso "armário interior", como todo armário, passa por momentos de desarrumação, de ter que tirar o pó, esvaziar as prateleiras, se desfazer (descartar) de coisas que já estão só ocupando espaço pra ficar tudo limpo e organizado. Mas isso é um ciclo. É verdade! Pode não ser agradável, ser trabalhoso mas, assim são as coisas. E a reforma é necessária. (;

Diego, que bom que fosse! Mas sou pessimista nesse sentido, como todo mundo que se identifica com a psicanálise. [risos] Sempre haverá quem não consegue lidar com isso. O que quem tem capacidade para lidar pode fazer é mergulhar nisso. Estará só se fazendo um bem enorme. "Só" isso. [risos] (:

un-dress, se eu pudesse mandava pelo menos uns 15º pra onde você se encontra! Essa previsão que diz que são só 31º no máximo... Só se for na sombra! Debaixo de "sol a pino" deve tá uns 40º!!! Acho que no deserto do Saara tá fazendo mais frio que em Maceió, viu?! Putz! Concordo com tudo, exceto na questão do egoísmo. Não vejo egoísmo. Vejo Amor-próprio, mesmo! (;

Beijos, lindezaS!

Paula Calixto disse...

Ah...

Rui, obrigada pela presença! Sim, é por aí. (; Volte sempre que quiser.

Beijos, lindeza.