Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

domingo, 15 de junho de 2008

Concha[vo]

*
*
À atmosfera de "Cannoball" - Damien Rice
_______________
_____________________

E então, depois de alguns meses, eles resolveram - dum inusitado nada-tudo - se encontrar. O que aconteceu foi experimento. Depois virou preenchimento, e nos dois há descobertas encabuladas, alvoroços de gotas, mergulhos profundos no raso... Tudo aos poucos de goles-grandes. O que o medo tenta paralisar, a vontade transforma em receio. O que o receio tenta podar, o querer transforma em tocar. O que o toque tenta eclodir, o desejo explode. E o que explode re-torna ao estado de exploração.

No fundo do externo, o pulsante só bate mais forte nas nuvens não por ser medo da altura, mas por vontade de voar; porque o medo de altura não é medo de cair e sim: de pular!























____________***____________
[Imagem by "pai"Google]
*
*
*
Beijos.

11 comentários:

Paula Calixto disse...

"Pedras me ensinaram a voar
O amor me ensinou a mentir
A vida me ensinou a morrer
Assim, não é difícil cair
Quando você flutua como uma bala de canhão"
[Cannonball - Damien Rice]

________________

Beijos nim tudo.

Madalena Barranco disse...

"O que explode re-torna ao estado de exploração". Dona maçãzinha agora você deixou meu cérebro ao contrário - rsrsrs - isso é demais para uma moraguinha agridoce! Contudo, a Bruxauva diz que você está certa e é nesse caminho que vive a fórmula da vida. Obrigada pela visita e comentário - e... Você acertou!! A Bruxauva tem muito a ver comigo, mas ela diz que não sou eu... Rsrsrs! Beijos. (Desculpe-me a ausência - fiquei sem micro por mais de uma semana).

Anônimo disse...

o amor é lindo.....rsrsrs.....

bjs

Juli

Suréia disse...

A tão sonhada felicidade está perto de todos que a querem. Um encontro, é o que se faz necessário neste mundo repleto turbulências.

Um bom encontro à todos.

Cumprimentos!

Ricardo Rayol disse...

osto desses encontros experimentais

Anônimo disse...

Eitxa, more... essa fase é ótema! só é ir devagar e sempre... e se der deu, né more? unhum! =*

bjos gatíssima.

Dado.

ki-colado disse...

Pitoresco é notar que ao fundo de sua ilustração Paulinha, aparece a cidade maravilhosa do Rio de Janeiro, e mais precisamente, o morro da Urca, e do Pão de Açucar. A cidade maravilhosa, oferece outros encantos diferenciados das outras cidades, quanto ao quesito "relacionamentos". É normal no Rio de Janeiro, casais completarem bodas de ouro e até diamante. Para dissertar sobre os motivos que os levam a isso, seria preciso, quase que escrever um livro explicativo.

Agora, que eu amo o Rio de Janeiro de paixão, não nego não. E estarei morando se Deus quiser, no ano que vem, de forma permanente, com Bia Maria, nesta encantadora cidade que me faz tão bem.

Saudações Paulinha!

instantes e momentos disse...

lindo o teu blog, é muito bom vir aqui

Flávia disse...

Eu sou fascinada por beiras de precipício. E pulo, mesmo sabendo que chegar ao fundo machuca. Mas, até lá, há a delícia vertiginosa da sensação do corpo livre no espaço... e isso compensa toda e qualquer dor.

Beijos ;)

elvira carvalho disse...

A vida me ensinou a morrer. E não é assim que andamos quase todos. Morrendo e fingindo que vivemos?
Bonita foto.
Um abraço e bom fim de semana

Frodo disse...

Minha alagoana favorita!... Adoro isso aqui, porque sempre leio coisas inteligentes. Ando meio sumido, confesso: trabalho, faculdade, problemas, lançamento de antologia, mas não esqueço meus amigos.
Grd beijo!