Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

[i]naturalidade [a]fronte

No player, que para ouvir tem que dar o pause no link
do player do blog ao lado (à direita, abaixo das fotos),
Lara Fabian em AMIER DÉJÀ.






Vaso de flores - S. Dali


Cor,
sabor,
sentir,
expressar,
sorrir,
chorar,
gritar,
calar...

De nada vale se a pintura de nossas vidas for uma obra mortificada.
A vida tem que transcender falências subjetivas da vivência
e precisa ser um tudo até em uma tela, em um retrato.
Viver tem que ter representação do que seja esse tudo.
Assim, na representação, o artifício vira veracidade!
Somos um espetáculo em personagens, tramas e platéias
onde o drama de hoje pode tornar-se comédia amanhã,
e onde o recheio aglomera o romance e a aventura, na ação
que nos protege da inércia, mas o enredo só não pode perder
o sentido profundo, gostoso do cume da dor ao êxtase do prazer!
Do contrário não somos pois, o que somos é naturalidade.
Embora o oposto disso tudo nos afronte.

Naturalidade é ser humano!









E

cultivar-se

semear-se

sempre!


O meu momento faz parte do círculo!
[onde sei o que semeio e o que cultivo]
.

"O homem não deve demorar-se em nenhuma etapa da vida, mas sim estar sempre pronto a penetrar num novo círculo"
[Hesse, em o "Jôgo das Contas de Vidro"]
.
.
.

Beijos redondos (feito a vida!)

3 comentários:

Anne disse...

Ahhh, a vida é muito linda mesmo! Adoro ler sobre ela, gostei da maneira como vc descreve as coisas...mudanças, sempre!
Então vc tb é psicóloga? Sim, eu sou! Amo muito trabalhar com isso, é um trabalho mto recompensador (mas tem as suas dores, como qualquer outro).
Bjos pra vc e um ótimo dia!

Girassol disse...

A vida é tão especial, e ao mesmo tempo tão complexa, que ninguém jamais chegará a uma definição que gere consenso. O que acho maravilhoso, pois adoro o facto de sermos realizadoras, personagens principais e figurantes de uma trama escrita por nós mesmas, com as nossas dores, e os nossos gozos.

Beijo.

lua disse...

adorei a foto da gotinha.