Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Liberdade em verdade e som de AMOR


Essa semana passada a conturbação de uma pessoa perdida e envolvida em seu descontrole ameaçou a paz de algo que perdura para além da compreensão minha e dele.

Sabe, é interessante como as pessoas e, principalmente, certas mulheres se deslocam em centralizações estranhas: títulos. E, sendo assim, descentralizam-se!

Parecem se iludir com um momento agradável que, não mais do que isso é: apenas um momento.

Há quem justifique o coração de um homem a dizer que a natureza masculina é instinto de aventura. Vá lá que seja! Mas, entrar em uma relação onde, um homem te trata como escarro na frente dos amigos e te descarta de vez em quando e, quando ele quer e bem entende, te chama feito um cachorrinho... já é o cúmulo da falta de amor-próprio! E atrelar a tudo isso, saber que na vida desse homem existe a presença de uma mulher que ele, passe anos, procura, vai em busca... onde essa ação contínua foge até a compreensão dele mesmo em pensar: "eu posso ter outra qualquer, mas sinto falta DELA!" Saber disso tudo e que essa mulher que habita no interior desse homem ninguém (nem ele e nem ela) sabe o porquê e, além disso, que essa mulher não se submete nem a 1/6 das coisas humilhantes que ele faz e submete a outra... é loucura mesmo!!!

Eu sinto muita pena dessa menina! Eu sinto dó quando ele a usa de maneira como quem usa um fantoche e diz um tiquinho de palavrinhas bonitinhas e volta por pena e... vai embora novamente em busca da que há anos ele re-encontra! Eu sinto muita pena de vê-la se contentar com migalhas porquê, apesar de toda infantilidade irritante que ela, no desespero, insiste em provocar, ela abre as portas para alguém e que, nem ali dentro do antro dessa menina está com ela e tem seu pensamento na preocupação com o que acontece com a outra, em enviar mensagens e preocupar-se em não magoar, justamente, a outra que ele busca e rebusca sempre, sem nem entender o motivo disso acontecer. E deixa essa pobre infeliz (que se submete a ter o que não tem) ao relento da ilusão e vai em busca desse seu refúgio em forma de uma mulher que ele tem entranhada em sua pele, pensamento e desejo!

É tudo uma questão de tempo pra o desenrolar dessa história que pros dois parece não ter fim, não importa os ares alheios que um dos dois, ou os dois, estejam. Eles (ele e essa mulher que ele atrelou a sua vida sem explicação) estão e estarão, só Deus sabe até quando, sempre juntos. E, a cada ida e a cada vinda é mais forte... e mais forte... e MAIS FORTE!!!

Isso é amor? Eu acho que sim! Um amor que traduz o sentido da própria palavra: amadurecimento, espera pelo que vier (pelo rumo da história dos dois) sem mais cobranças, sem mais competições de ambas as partes com outras partes, simplesmente: a permissão da vivência da história dos dois na espera tranqüila do que a vida, o íntimo de cada um, individualmente vai tomar. Não uma tomada de decisão. Mas a certeza de que cada um tem um tempo de amadurecimento em si, bem pessoal e que, certamente, o rumo de suas vidas se cruzam!!!

Tenho pena de quem se mete nesse caminho e resolve lutar inutilmente pela conquista de um deles, em particular, da mulher que insistir em lutar inutilmente por ele. Ele não é de ninguém e não é dessa que rasteja e se abre à primeira pedida disso, porque não sabe, ou não quer enxergar que isso é puro momento efêmero dele. Ele não aje assim com a presente de tantos anos em sua vida! Porque é a ela que ele isniste em querê-la!!!

Sim... a aventura da vida dele é aquela que insiste em se esconder atrás de um titulozinho qualquer e a mulher a quem a vida trás novamante pra ele e que ele busca... essa tem outra denominação.

E os dois sabem que a história é viver e deixar rolar...

E é uma pena quem não sabe se amar e ter a coragem de dar um rumo verdadeiro e liberto à sua própria vida, pois ao invés disso escolhe o sofrimento e migalhas de alegrias sopradas ao vento como num segundo! É... há quem goste de sofrer!


Ao meu "coisinha":

-Sim! EU te amo!!! Mas meu amor não implica em cobranças tolas e ciúmes do que não me diz nada! Sinto saudades e amo porque é excelente estarmos juntos, como você mesmo diz! Mas a minha saudade é no meu coração e a minha vida anda sem paralisar por ela. Isso deve ser difícil de entender, eu sei! E prova cada vez que me distancio e você me vem com garra e me retoma! E entendo que meu jeito livre de ser e de lhe deixar livremente ser, possa ser difícil de se crêr em meio a tantas tentativas em braços contrários aos meus e, na ausência dos meus que, quando não estão nos teus se desdobram em outros pela minha natureza de não me anular por você, "coisinha"! Isso faz parte de toda nossa evolução e quanto mais sou sua livremente, mas sua (acredite!) e você... risos... você é cada vez mais meu, né?[risos] Já deu pra AMBOS percebermos! Então, VIVAMOS!!!


Beijos

4 comentários:

un dress disse...

:)))



beijO

Plugado disse...

te gente q se acha dono do q n tem e fica fazendo tanta coisa pra chamar atenção q depois reclama quando a gente diz: já te vi, ser idiota e burro(a)! é assim mesmo. quem tem o tudo q vc tem fica inevitável a inveja e insegurança de quem tem complexo de inferioridade e falta do que vc falou..... amor-próprio! Beijão

Mário Margaride disse...

Olá Paula,

Estava com saudades deste cantinho...
Hoje tive uma folguita e aqui estou!

Liberdade tem que ser em verdade. De outra forma essa liberdade passa a ser outra coisa qualquer. Nunca poderá haver amor! Sem essa verdadeira liberdade com verdade, em toda a sua dimensão, e plenitude.

Beijinhos paulinha

ki-colado disse...

Teorias e análises são sempre teorias e análises...

Na vida prática cada um é que sabe onde o sapato realmente aperta...

Eu particularmente pago um preço de ser só... sózinho...

Aparentemente triste solidão por estar preso a um "legado de amor" oriundo de uma tradição familiar milenar. Estou atado aos meu principios e me amo por isso não sou e jamais serei mais do que um amante de mim mesmo. Narciso?


Pode ser...
Narciso se ama eu também me amo...


Mas... entretanto...

O que é meu me pertence...

Seja uma palavra,
Seja um gesto,
Uma música,
Poesia,

Pode ser até um olhar...
Um jeito sedutor de falar...
Qualquer expressão que é dom...
Dentro do que é sentido de vida.


Deus é assim e sou a sua imagem...



Mortal
Carnal
Normal.







Talvez amanhã quando o vento bater mais forte e a luz voltar, ai sim outra vez ressussitarei prá amar.


Onde ninguém dúvida que haja vida.


Kisses to you very much ki-colado.