Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

quarta-feira, 2 de maio de 2007

Maçã entre falos, paradoxos e sombras

Um autor - o qual já li muito e desgostei depois que Hermann Hesse aportou em minha praia com seu "O Jogo das Contas de Vidro", seguido de "Sidarta" - disse uma vez, mais ou menos assim:
"quando estou em fase de produção eu me sinto grávido, em gestação; e, quando o livro está pronto e nasce: dá-se uma espécie de parto."

Estou construindo um artigo sobre Psicologia Jurídica (minha especialidade), para publicar em outro espaço. E o tema é sobre a presença da Sombra (conceito Junguiano) na personalidade X patológica [uma perspectiva para além da análise junguiana e sob à luz de teorias psicológicas e filosóficas].
Muito Freud, Lacan, Jung, Fromm, Hesse, Nietzsche, Palomba, Focoult... permeiaram ontem minha mente através da leitura. E vão continuar hoje a povoar minhas reflexões, minhas buscas.

Mas, hoje acordei mais maçã do que há muito!

A primeira coisa que lembrei foi de uma artista que gosto demais. E, ache ruim quem quiser achar!(risos) Ela pode ser uma pecadora (uma puta, mesmo!kkkkkkk...), ou uma santa-puta a quem interessar, possa. Tô nem aí! O fato é que ela povoou a mente e habitou na adolescência de muita gente com mais de trinta (e um pouco menos). Fato é que sua obra povoa o universo de muitos até hoje!

Ouvi essa música pela primeira vez num cd, que Deivdsson (uma amigo LINDO e QUERIDO) deu de presente a outra amiga. Gostei tanto que "matei" o presente!kkkkkkkk... Vi o clip um tempo mais tarde, depois que Dei voltou da turnê em Amsterdan e, com a exibição na minha frente do que assistiu, me "matou" de inveja!(risos) Como eu queria ter estado lá!



[Da esquerda pra direita: Lipe, Jauri, Deivdssom e eu. Comemoração à aprovação do mestrado de Deividssom. Amizade é muito na vida de qualquer pessoa!]


Já falei que fiz anos e anos de dança (de ballèt à dança moderna)? Pois é! Mas, a ferrugem GRITA, hoje em dia!kkkkkk... No entanto, a sensibilidade pra ler as coreografias eu não perdi. E não perderei nunca! Dança finca na gente feito célula e vira mais uma no sangue pro resto da vida.

Nessa coreografia, salteada de humor e seriedade, ela fala através do corpo, claramente, o que ela é e o quanto ela se "preocupa" com as opniões alheias, em expressões de deboche e graça. Dizendo que é o que é, e que não importa o que se ache (o que ele, eles achem), ela não mudará pra satisfazer alguém e nem deixarão de admirá-la, desprezá-la, amá-la e odiá-la.

Quem não é assim também na vida, vive?! Ou, como diria o poeta: "já morreu e não sabe"?!

A vida é um paradoxo (sim, condordo, Madonna!) e não adianta alguém querer estar acima do bem e do mal, porque os anjos e demônios que habitam nos outros humanos são tão iguais e igualmente habitáveis em nós todos. E só quando se aceita a imposição de ser o todo em si mesmo, é que se tem em si a capacidade de harmonia interna. É questão de auto-respeito, auto-regulação, de respeito ao(s) outro(s) e ao Divino. Questão de aceitação à condição Divina de ser humano(a)!

Isso não acontece dessa forma com psicopatas. O psicopata vai onde seres humanos comuns não podem ir. Semelhança com figuras demoníacas: para seres humanos comuns, o demônio é uma projeção, algo que está fora; para psicopatas, o demônio é uma forma de vida! Mas, os processos cognitivos, presentes neles, não são exclusivos das personalidades anti-sociais. Eles representam um exagero dessas combinações. Ou seja, o que difere neles (psicopatas) é a combinação desses processos cognitivos.

Exagero é o meu: combinar Madonna, psicanálise, filosofia, psicopatia e sanidade! Exagero não, seria mais loucura, mesmo! Né?!kkkkkkkkk...

Mas, o clip também mostra conteúdos fálicos e isso é pura teoria freudiana em forma de arte, (des)pretenciosamente, colocada. Fora a roupa: propositadamente vestida de forma composta e provocativa, em tons de vermelho e púrpura (ou vinho, o que é insinuativo também).

Além disso tudo, o bom desse clip é a letra, a mensagem da múscia, que desde a primeira vez que ouvi, já vaticinei: virou uma das minhas favoritas (em indentificação e imagem)!!!
Ela diz tudo que eu gostaria de dizer e re-afirmar para mim, pro(s) outro(s), para Deus, pro mundo!

Que bestinha, né? Logo em Madonna!!!(risos) Mas é como eu sempre afirmo: as pessoas, o mundo... são espelhos!!! E você pode encontrar beleza no lixo e maldade num diamante raro. Tudo vai depender da ótica de quem vê, enxerga, ou olha.

Neste momento eu vejo, eu enxergo, eu olho em muitas coisas o que tem a ver com minha fase e minha vida (produção em construção e já construída). Assim como, o que tem a ver com o todo, no hoje e no sempre! Não importa o quadro que eu admire e pondere. Eu vou acabar encontrando o que eu procuro porque a busca é minha, entende? E, hoje, as idéias vão está no "forno" (sob a sombra - no artigo) e fazendo um feedback. Porque sou impassional, sou sangue puro e em tudo que olho a sensibilidade toca (sem indentificação patológica, claro! ).(risos) Aquilo que vejo só faz emergir verdades, as quais habitam em mim, em você, em todos e de acordo com cada existência única. Por mais louco e absurdo que isto pareça, é uma verdade.

Idéias no forno... vou me ausentar do blog. Hoje não volto aqui (ou talvez volte).
No momento, entre tantos disparates precisos, deixo o clip a quem interessar, possa.
Bons feedbacks. E, a propósito: já se preguntou, hoje, o que você busca e o que habita em você, na sua essência? Pergunta filósofica que é Providencial, de vez em quando.[só de vez em quando... claro!kkkkkkk...]

P.S.: Caso deseje assistir ao clip, você precisará dar um pause no "link" ao lado (logo abaixo dos slides).


Like it or not
Madonna





Composição: Madonna, Christian Karlsson, Pontus Winberg and Henrik Jonback


You can call me a sinner
Você pode me chamar de pecadora
And you can call me a saint
E pode me chamar de santa
Celebrate me for who I am
Celebre-me por quem eu sou
Dislike me for what I ain’t
Desgoste por quem eu não sou
Put me up on a pedestal
Me coloque num pedestal
Or drag me down in the dirt
Ou jogue-me na lama
Sticks and stones will break my bones
Paus e pedras quebrarão meus ossos
But your names will never hurt
Mas seus rótulos nunca irão me magoar

I’ll be the garden, you’ll be the snake
Eu serei o jardim e você a serpente
All of my fruit is yours to take
Todos os meus frutos são seus, pode pegar
Better the devil that you know
Melhor o inimigo conhecido
Your love for me will grow
Seu amor por mim irá crescer
Because
Porque

This is who I am
Essa é quem eu sou
You can like it or not
Você pode gostar ou não
You can love me or leave me
Você pode me amar ou me deixar
Cause I’m never gonna stop, no no
Porque eu nunca vou parar, não não

Cleopatra had her way
Cleópatra tinha seu jeito
Matahari too
Matahari também
Whether they were good or bad
Se elas foram boas ou más
Is strictly up to you
Isso é com você

Life is a paradox
A vida é um paradoxo
And it doesn’t make much sense
E não tem/faz muito sentido
Can't have the femme without the fatale
Pode ser filmada sem autorização?
Please don’t take offense
Por favor não fique ofendido

Don’t let the fruit rot under the vine
Não deixe a uva estragar sob a videira
Fill up your cup and let’s drink the wine
Encha um copo e brindemos o vinho
Better the devil that you know
Melhor o inimigo conhecido
Your love for me will grow
Seu amor por mim irá crescer
Because
Porque

This is who I am
Essa é quem eu sou
You can like it or not
Você pode gostar ou não
You can love me or leave me
Você pode me amar ou me deixar
Cause I’m never gonna stop, no no, you know
Porque eu nunca vou parar, não não, você sabe
This is who I am
Essa é quem eu sou
You can like it or not
Você pode gostar ou não
You can love me or leave me
Você pode me amar ou partir
Cause I’m never gonna stop, no no, you know
Porque eu nunca vou parar, não não, você sabe

No no, you know Não não, você sabe
No no, you know Não não, você sabe
No no, you know Não não, você sabe
No no, you know Não não, você sabe

I’ll be the garden, you’ll be the snake
Eu serei o jardim e você a serpente
All of my fruit is yours to take
Todos os meus frutos são seus, pode pegar
Better the devil that you know
Melhor o inimigo conhecido
Your love for me will grow
Seu amor por mim irá crescer
Because
Porque

This is who I am
You can like it or not
You can love me or leave me
Cause I’m never gonna stop, no no, you know
This is who I am
You can like it or not
You can love me or leave me
Cause I’m never gonna stop, no no, you know

No no, you know
No no, you know
No no, you know
No no, you know


[Só aqui entre nós, "coisinha",
"meu" atrevidinho...
Resposta a uma ligação,
ou melhor, à várias
durante tarde
(início e finalzinho)
de hoje:
- Não, hoje não vai dar.
Não por causa
do artigo, nem de nada.
Eu sou assim,
simplesmente, assim.
Lembra, atrevidinho?
E acordar no Francês,
de frente para aquele mar,
depois de amar...
e ainda ter que vir pra casa
e trabalhar à tarde...
COVARDIA!!!
kkkkkkkkkkkkk...
A desculpa é bobinha, eu sei!
Mas, eu sou assim...
lembra?;)]


Beijos, mordidas e mergulhos [risos]
Nháck!

5 comentários:

Marcelo disse...

Meudeus, mas a garota é uma filósofa contemporânea e eu não sabia!
Nada mal, nada mal...
Mas sem essa de se ausentar do blog heim? =)

Smack!!!

Plugado disse...

"já se preguntou, hoje, o que você busca e o que habita em você, na sua essência?"
Depois de ler seu texto tenho medo das respostas ! ehehehehe
Muito complexo oq li em toda sua simplicidade.
E muito verdadeiro !
Ha! Madonna é show de bola!!!!!!!! E concordo com o de cima. Olha a responsa! ehehehehe
Abraços

Um mundo novo aos corações corajosos! disse...

Opaaaaaaaaaaa... moça, moça... gostei dessa mistureba. Coisa de gente inteligente. :)
E que bom que encontrei mais uma "louca" por aqui; minha sentia tão só.

PSICOLOGIA JURÍDICA? Tu faz Psicologia? Ou é só por lazer que estuda Freud, Laca, Jung? Eu faço. E adoro menções a "processos cognitivos". Rs!
Bjos, e obrigado pelo comentário.

ki-colado disse...

Olá Paula,

Grato pelo comentário deixado no metamorfose. Vejo que está as avessas com seu trabalho. Eu considero os tempos de outrora mais lights quando Freud afetuava suas viagens e podia teorizar junto aos amigos que paulatinamente ia conquistando no decorrer de longos anos de trabalho. Hoje, vivemos num tempo conturbado, e muito nocivo, pela escalada desenfreada do poder. Há de se ter cautela e sensibiliade aguçada quando se faz necessário separar a loucura saudável que é nossa dos demais. Dança é bom, e admiro as pessoas que praticam esportes com regulariedade, visto que esporte é saúde, e a liberdade é sem dúvida um bem precioso que todos nós deveria-mos cuidar com esmero. Tocando na palavra liberdade e tirando a Madona de campo, quero salientar-te de que postei algo pessoal referindo-me as "coisas" que tenho. Sim, digo pessoal, porque me desprendo de "tudo" seja o que for. Pode ser o gato siamês que comprei, o violão que deixei na casa de outrém, e por ai afora.
É lógico que as relações afetivas não posso considerar sendo coisa, e portanto poderia mudar para o sentido para: Amo a liberdade, e portanto deixo livre "tudo" o que amo... se voltar trata-se de uma conquista, se partir nunca foi meu direito. Agora ficou melhor? rsrs.

Em vista da sua confissão ao gosto dos ditados, abaixo transcrevo um que me veio à mente:


É indispensável estudar-mos a natureza dos outros, antes de dar-mos livre curso à nossa.

August Strindberg.

un dress disse...

bom-que-deve-ser.

acordaR: Maçã!!! :)