Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

domingo, 27 de maio de 2007

[des]entendimentos

"Até a próxima vida, quando formos gatos!"
[Eu nunca entendi essa parte de Vanila Sky]

Eu não entendo muitas coisas, na verdade. Eu até indentifico os processos neuróticos/patológicos no comportamento dos seres humanos, mas... a sensação de estranheza invade tal compreensão de quem não tem a menor pretensão de se melhorar.

As idas e vindas da vida, em meio a um emaranhar de complexidade escondida no coração do outro, me dá náuseas! E me dá medo!

O pavor maior é não entender o que o futuro me aguarda. Mas, o impulso é sempre seguir em frente! O medo só é maléfico quando nos paralisa.
"Aprendi a ser como a primavera e me deixar cortar e voltar sempre inteira", diz Clarice Lispector.

Eu atrelo isso a certeza de que minhas cicatrizes não são defeitos e sim, a certificação de que estou curada. Curada de me iludir e de não poder deter a ilusão de outra pessoa. E, pincipalmente, de não ser responsável pela necessidade em sofrer de quem quer que seja! As pessoas estão a deriva de forças superiores - é bem verdade... Mas, por outro lado, em um dado momento elas têm o poder de escolher seu destino e continuar seguindo a trilha do impossível e do que faz sofrer ou não.

Sei também, que me permitir invadir pela insatisfação de outra pessoa em não conseguir atingir a posse de alguém é um direito MEU! O qual, não abro mão!!! Mas, ando tão cansada de assédios insanos!!! Ah... como ando!

Mas minha natureza não é voltada para sedução desse tipo de gente que, no desespero, mira em alvo errado. Eu me dou o direito de aporveitar cada segundo... até de quando EU não quero! Eu não me permito ser um simples bibelô, na ilusão de um título com coroa e cetro.

O que permite ser em sua pelnitude é a coragem em seguir adiante. Continuo seguindo... ao lado, ou não. Isso dependerá do meu momento - do MEU momento!

Porque tenho a certeza na ida e na vinda dele
que EU sou, essencialmente,
[a]única!!!

E o essencial está nos olhos
de quem vê.
E quem vê procura-o!!!


A vontade e disponibilidade estão para além de título. Eu não necessito disso.
Eu não estou por estar!








Ao som de Pitty: "Na Sua Estante"

Beijos

Um comentário:

Marcelo disse...

As cicatrizes estão lá também para mostrar que vivemos tais experiências.
Se aprendemos ou não com elas, é uma outra história.
Porque qualquer cicatriz pode ser reaberta com uma simples pancada.
É disso que fujo.
É isso que realmente temo.
E por isso me resguardo tanto de pessoas que enxergam em mim a salvação ou a cura de suas feridas.
Só o tempo tem tal remédio.
E estou ainda precisando dessas pílulas.

Beijos, menininha linda