Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

domingo, 29 de abril de 2007

Entre espaços e (inter)valos

Madrugada de sábado para domingo, depois de um delicioso cabernèt, chuvarada, MPB ao fundo, pizza... e conversas loucas. Eu tinha que passar aqui pra registrar as "doidices" da minha insana alma.[risos] A gente, em boa companhia, troca idéias até sobre formigas e espaço sideral![+risos] E como é bom... Alivia e acalma! Um excelente desfecho pra esse dia que começou diferente da maioria passada (e tão igual!). Até uma chuva esparsa pode ter ar de margaridas...


Diga, se não são as flores mais cheias de vida!

Falando sobre a vida... entre tanto aconchego precedido de outras coisinhas "minchas" do dia, eu resumo os resultados de doces disparates à filosofia, a qual sou uma eterna apaixonada. Há uns dias atrás, escrevi um texto que muito retratava essa minha preferência existencial, cujo tema era o semi-deus e filósofo Amor, e sua natureza em busca da beleza, conseqüentemente, das coisas sábias. Nesta madruga, o tema está mais para existência humana (e por que não, Divina?!), que foi o assunto do dia, da tarde, da noite e da madrugada, expresso em "aconteceres" previsilvelmente estranhos. Fiquemos na companhia de Nietzsche e das estrelas, meteoros, nebulosas, planetas, satélites, galáxias...


E assim falou Zaratrusta (fragmentos):

"Zaratrusta, porém, olhava para o povo e se admirava. Depois falou assim:

O homem é uma corda, atada entre o animal e o além-do-homem - uma corda sobre um abismo.

Perigosa travessia, perigoso a-caminho, perigoso olhar-para-trás, perigoso arrepiar-se e parar.

O que é grande no homem, é que ele é uma ponte e não um fim: o que pode ser amado no homem, é que ele é um passar e um sucumbir.

Amo Aqueles que não sabem viver a não ser como os que sucumbem, pois são os que atravessam.

Amo os de grande desprezo, porque são os do grande respeito, e dardos da aspiração pela outra margem.

Amo Aqueles que não procuram atrás das estrelas uma razão para sucumbir e serem sacrificados: mas que se safriquifam à terra, para que a terra um dia se torne do além-do-homem.

Amo Aquele que vive para conhecer e que quer conhecer para que um dia o além-do-homem viva. E assim quer ele sucumbir.

Amo Aquele que trabalha e invente para construir a casa para o além-do-homem e prepara para ele terra, animal e planta: pois assim quer ele sucumbir.

Amo Aquele que ama sua virtude: pois virtude é vontade de sucumbir e um dardo da aspiração.

Amo Aquele que não reserva uma gota de espírito para si, mas quer ser inteiro o espírito de sua virtude: assim ele passa como espírito por sobre a ponte.

Amo Aquele que faz de sua virtude seu pendor e sua fatalidade: assim, é por sua virtude que ele quer viver ainda e não viver mais.

Amo Aquele que não quer ter muitas virtudes. Uma virtude é mais virtude do que duas, porque tem mais nó a que suspender-se a fatalidade.

Amo Aquele cuja alma se esbanja, que não quer gratidão e que não devolve: pois ele sempre dá e não quer poupar-se.

Amo Aquele que se envergonha quando o dado cai em seu favor, e que então pergunta: 'Sou um jogador desleal?' - pois quer ir ao fundo.

Amo Aquele que lança à frente de seus atos palavras de ouro e sempre cumpre ainda mais do que promete: pois ele quer sucumbir.

Amo Aquele que justifica os futuros e redime os passados: pois ele quer ir ao fundo pelos presentes.

Amo Aquele que açoita seu deus, porque ama seu deus: pois tem de ir ao fundo pela ira de seu deus.

Amo Aquele cuja alma é profunda também no ferimento, e que por um pequeno incidente pode ir ao fundo: assim ele passa de bom grado por sobre a ponte.

Amo Aquele cuja alma é repleta, de modo que ele esquece de si próprio, e todas as coisas estão nele: assim todas as coisas se tornam seu sucumbir.

Amo Aquele que é de espírito livre e coração livre: assim sua cabeça é apenas a víscera de seu coração, mas seu coração o leva a sucumbir.

Amo todos Aqueles que são como gotas pesadas caindo uma a uma da nuvem escura que pende sobre os homens: eles anunciam que o relâmpago vem, e vão ao fundo como anunciadores.

Vede, eu sou um anunciador do relâmpago, e uma gota pesada da nuvem: mas esse relâmpago se chama o além-do-homem."


Universo com suas galáxias, nebulosas, planetas, estrelas, cometas... E a gente aqui: neste pequeno espaço da Terra, com nosso ego expandido no vago, no todo, no tudo, no nada... em intervalos divinos.




[Em humanos pode se encontrar o Divino,
seja através das flores, das palavras ou do espaço.
É tudo questão de um singelo inter-valo.
]




Beijos ao sabor de verdades, humanamente, Divinas!
[Há mais de três da madrugada!kkkkkkkk...]

9 comentários:

Plugado disse...

somos muito e tão pouco. Bela forma de escriturar.

inté

Luana disse...

que universo interessante esse seu!
gostei demais daqui.

quanto as margaridas são mais vivas que muitos "homo sapiens" por ai...

um prazer em conhecê-la!

lua disse...

é sempre bom, ter companhias em que as conversas são intermináveis...

té.

ki-colado disse...

Olá...

Grato pela aparição no metamorfose.

Li um pouco de tudo neste seu novo espaço e gostei da profundidade em suas colocações. Um canto bom para meditar, e estar presente sempre.

Neste "Entre espaços e intervalos" vejo-me como homem de forma muito simples ao lembrar que ouvi certa vez, uma afirmação dizendo que no fundo, todo homem deseja ser rei. Um rei termina querendo ser Deus. Só que Deus quer simplesmente ser um homem. E foi pensando em todo esse contexto que gosto de viver o que Deus gostaria de ser. E sou.

Algo que me chamou atenção aqui, e concordo, é afirmar que todo homem que almeja uma mulher inteligente, tem que ser ousado. Concordo, pois a verdade aparece quando a mulher possui idéias admiráveis, e não tem por perto um homem de ação. Certamente, com o tempo a casa cai, em vista da aparição das perdas, que indubitalvelmente surgirão.

Greetings.

Marcelo disse...

A física quântica nos dá muitas das respostas que procuramos.
Inclusive as relacionadas À paixão e ao amor...
Sim, eu acho romântico mesmo que as nossas dores e gozos estejam expressadas em fórmulas e equações.
Sou absolutamente apaixonado por qualquer assunto que se refere aos cosmos.
É tudo de uma grandiosidade inacreditável.
E o mais interessante é que nós, na nossa pequenês, temos tanta riqueza e grandiosidade quanto o universo em nossos corpos e em nossas almas (mas isso é papo para se ter bebendo um bom porto e comendo queijos, salames e azeitonas, hehehe).

Lindo seu blog, absolutamente deslumbrante tudo aqui.
Me senti bem...

Beijos, menininha.

Marcelo disse...

Eu não poderia exigir atitude de alguém se não a tivesse também.
Aprecio muito fazer o que me dá na telha, dizer o que quero e viver segundo meus conceitos (logicamente desde que não prejudique ninguém).
Não espero, vou lá pegar.
Ou, em outras palavras, só temo baratas...

Smack!!!

€aµ disse...

Olá,
Agradecendo a visita ao Mar de Palavras e retribuindo.
Gostei muito do seu blog, do texto das reflexões... e lembre lá do comecinho do texto e lembrando das várias loucuras e verdades sãs e insanas que vêm de um bom papo, com chuva e quem se gosta.
Beijo
;o)

Andréa disse...

Lindaaaaaa q coisa maneira essa de falar sobre universo e flores e vida e tarara hahahahahaha te adoro

xero

Andréa disse...

aiiiiiiiiii lindo demais seu slide!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

témais