Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

sábado, 11 de julho de 2009

Não seja um produto pronto, a não ser que seja o produto feito de você mesma(o).

*
*
*
E lá vem um texto sobre relacionamentos... risos...

Mas, não é um texto de alguém que tem vida perfeita, relacionamento perfeito, felicidade absoluta e estado de espírito pleno. Não. É de alguém comum, que busca... busca... busca... Seja lá o que for, busca porque esse esse verbo é inevitável enauqnto há vida e se faz parte dela.

Um dia desses uma paciente me falou que estava namorando um estudante de psicologia e que seu namorado tinha emprestado um livro. Que com isso ela tinha adquirido o hábito, pela descoberta do prazer de ler, da leitura. Claro que perguntei que livro era, e ela respondeu: "Homens são de marte, mulheres são de vênus". [mais um dos famigerados "auto-ajuda". risos...]

Não gosto mais dessas leituras. Mas por que EU não gosto mais?! Ora, porque não me são mais úteis, ué! Mas, pra ela eles têm sido e muito! E fiquei feliz por ela. :)))

Fiquei mais feliz ainda porque pensei: "eu também estou aqui; também estou sendo útil a ela." E é a interpretação dela sobre o livro que vale aqui, não a minha. Seria eu uma "analista-humanista"?!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Non. Eu só faço jus a função da "pessoa real do analista", quando preciso é. ;)

Pois bem. Pessoas utilizam pessoas todos os dias na vida. Isso é relacionar. E tudo vai à falência quando se negligencia essa base. Não vai ser em livros ou em "fórmulas mágicas" que a gente vai descobrir isso, mas no dia-a-dia: no decorrer da vida.

E na vida é tudo tão in perfeito! E da imperfeição eu só tenho a dizer isso:

- Relacionamento é um jogo de "cedução": eu cedo, tu cede, eu cedo, tu cede... risos...

Só que, eu ACHO que é preciso que os 2 não admitam ceder o si mesmo (abdicar de si mesmo). Porque aí ou é minininha precisando de painho, ou menininho precisando de mainha. E não homem sendo homem pra mulher e vice-e-versa.

No mais, resolvi abolir há algum tempo dessas "fórmulas prontas" de perfeição humana.

Descobri que o imperfeito é tão mais divertido!!! ;)

E concordo com a Maria Cândida: "aventura é vida a dois!"

[indo TENTAR escolher as alianças... kkkkkkkk...]

Beijos.

5 comentários:

Dani disse...

Oi, Paula! Gostei do seu texto e da sua visão, acho que em todo relacionamento as pessoas precisam encontrar um equilíbrio entre manter a integridade do que elas são e o se adaptar, ser flexível ao outro. Nenhum dos extremos parece funcionar muito bem. Acho que livros de auto-ajuda como o citado ajudam na questão do questionamento, da percepção e compreensão que as pessoas são diferentes umas das outras, sentem, pensam e/ou se expressam de maneira diferente. Mas rotular que homem é assim e mulher é assado, não me parece muito inteligente. Acredito que até podemos usar essa referência geral para começar, mas é um delicado estudo caso a caso.

Beijo

Paulo disse...

Chega de tentar reformar o mundo, de querer as coisas perfeitas,temos é que nos adaptar, por isto concordo com o teu texto.

Beijo, Paula

Paula Calixto disse...

PoiZé, meninos...

Vida é movimento.

Né?

Yeh! risos...

Beijocas.

Diego Gonçalves Amaral disse...

vixe... tu me abandonou faz tempo lá no tri buenas né?

Como está a vida? e o Baby???

A drica e eu estamos dando nossos primeiros passos na mesma direção, estamos morando juntos e muito felizes!

bj!

Paula Calixto disse...

Oh, que lindos, amigo!!! :)))

Ai, abandonei nada não! risos... É fase de "hiato-bloguístico". kkkkkkkkk...

Vou lá agora!

Beijos, Diego.