Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

quinta-feira, 6 de março de 2008

Só o trabalho me salva!

[Ouvindo "High" - James Blunt, porque
a vida é bela e a gente é mais belo
quando está vivo em verdade!]
__________________________________
____________________
________________

"Belo amanhecer, se mistura com as estrelas outra vez. Você lembra do dia, quando a minha jornada começou? Você lembrará do fim, (do tempo)? Será você o meu ombro, quando eu estiver grisalha e velha? Prometa-me que o amanhã começa com você, subindo... Correndo alegre entre todas as estrelas lá em cima."
.
.
.

Durante alguns anos da minha vida profissional eu passei atendendo idosos com seqüelas de AVC (Acidente Vascular Cerebral - vulgo derrame), diabéticos e com outros problemas bem particulares da própria fase de vida. Percebi o que já sabia na teoria: as pessoas aculumam de tudo ao longo de suas vidas.

Hoje, a demanda desse perfil de paciente está voltando, e estou amando isso! Trabalhar com um público diferenciado é algo que na minha profissão vem de presente. É uma experiência ímpar e muito valorosa!

Posso dizer que no aspecto de crescimento íntimo-profissional não tenho do que me queixar. Quantas pessoas - profissionais-psicólogos - já tiveram, em cerca de 10 anos de carreira, a oportunidade de trabalhar com crianças, adolescentes, adultos, idosos e um público à parte como presidiários?! Da resposta surgiria um número ínfimo, não tenho a menor dúvida. Sem contar as atividades "extras" como palestrante e professora.

Ainda tenho muito que conquistar. Este ano, tudo indica que me empenharei a fazer um outro curso de especialização, pois já fiz um em Psicologia Jurídica. Claro que a conquista de um salário mais dígno também é imprescindível, mas estar fazendo o que se gosta e tem prazer é o máximo, e o básico acima de tudo!

A gente se sente mais lúcida, maior, com mais garra, mais bela... MAIS VIVA!!!

Num mundo onde as pessoas têm que escolher entre necessidade de sobrevivência e necessidade de gozo, poder aliar os dois é um privilégio! E essa verdade fica nítida a cada atendimento que faço, pois é tanto peso de insatisfação que as pessoas acumulam e que o corpo não aguenta... Muito bom e importante existir a Psicologia para auxiliar na vida dessas pessoas e, lógico, o profissional ter um feedback indescritível como recompensa de trabalho!

Como posso provar isso? Não posso. Não na lógica insistente do positivismo. Aquela que se esquece que na vida: 2 + 2 (quase sempre) não dá 4. E a subjetividade é esquecida porque não pode-se mensurar os sentimentos. É verdade, não se pode! Pode-se mensurar o Amor-de-mãe, por exemplo?! - Não!!! E nem por isso ele é inexistente. (;

E estou eu aqui, no corre-corre, entre um atendimento e outro, digitando um texto às pressas em voltar ao trabalho só pra registrar o que de bom ocorre. Porque na vida a gente precisa guardar como recordação não só as dores, mas as satisfações ainda mais!

.
.
.

[Imagem by "pai"Google]
.
.
.

Beijos.
.
P.S.: James Blunt canta a beleza e o Amor de uma forma que fogem as palavras, né? (:

11 comentários:

Paula Calixto disse...

"Só o trabalho dignifica o ser-humano."

Yeh! (;

Beijos nim tudo.

un dress disse...

tanta coisa dignifica o ser humano

pralém do trabalho...:)







beijO

Anônimo disse...

kda post + lindo q o outro.... nunk vi alguem usar as cores com tanta harmonia como vc.... mente ociosa oficina do diabo eh oq meu pai sempre fala.... e agora vendo alguem taum iluminada q trabalha duro e se deleita com isso.... eu acho + razão p acreditah nele. adorei seu blog!!!!!!! tah me estimulando a abrir um....rsrsrsrs.... ms n tenho seu talento.:(

bjs

ki-colado disse...

Particularmente, tenho adimiração pelo seu trabalho Paulinha, até pq são poucas as pessoas que se dão ao trabalho de dedicar-se a uma profissão que visa melhorar a qualidade da vida alheia.

E diz-se que a caridade é o único caminho que conduz o ser humano a salvação da alma. Assim, Paulinha acredito que o seu lugar já está garantido lá em cima. Parabéns!!

Paula Calixto disse...

un-dress, é verdade. Mas o trabalho é a parte da nossa persona com o mundo que é bem particular. A pessoa pode ser filha, mãe, pai, esposa, marido... Porém, o trabalho é aquilo que só a ela, em particular, lhe identifica no "quem sou e o que faço" no e pelo mundo, sem desprezar as outras funções, lógico. (;

Anônimo, há muito não via alguém anônimo postar aqui. Não há talento espetacular aqui; há particularidade e só. (; O seu blogue será seu e terá parte da sua identidade. Pode ser muito bom para alguns e nem tanto para outros, o que não fará dele - como do meu - melhor ou pior que de outros. Blogue é gosto pessoal, entende? Grata pelas palavras gentis e volte sempre que quiser. (;

Ki-colado, e eu Amo meu trabalho! (((: E quanto ao lugar cativo... Deixa pra Deus decidir. [risos] Afinal, isso não me torna perfeita e eu faço porque gosto mesmo. (; Obrigada pela gentileza, amigo. (:

Beijos, lindezas.

Marcelo disse...

Texto às pressas??? Você é genial mesmo escrevendo às pressas, garota.
Acho realmente linda a sua profissão e o quanto ela te enriquece.
Realmente o trabalho libertas, sabe...

Beijos

paula barros disse...

Querida,
Trabalhar no que se gosta, fazer com amor, ter prazer, realmente é para poucos.
Fico feliz por você.
Um texto bem escrito, vamos lendo sem cansar.
Parabéns!

Sig Mundi disse...

Admiro seu trabalho! E conciliar é magnífico!

Penso que todo mundo deveria fazer terapia, com ela aprendemos a entender e ver o que muitas vezes apenas olhamos.

bjs, andrea

Madalena Barranco disse...

Ah, dona Maçãzinha, ter a sorte de trabalhar naquilo que a alma pede, é como dar o melhor sentido possível à sua vida. Pode-se trabalhar em muitas profissões, mas sempre há um dia em que a vontade de um desejo, que é mais do que o próprio desejo, cobra uma posição sobre sua verdadeira vocação. Beijos da moranguinha.

Diego disse...

Eu acho maravilhoso trabalhar com pessoas diferentes, especiais ou que possuem alguma deficiência.

Semestre passado eu dei aula de matemática para um menino com deficiência mental e foi uma das experiências mais fantásticas!

Eu fazia outro curso e não me sentia a vontade, pelo contrário... me sentia mal e intimidado, quando troquei pra física tudo começou a melhorar, amo esta ciência e este ambiente!

O que mensuramos é aquilo que podemos padronizar!

beijo

Jr disse...

eu tenho a sensação d q vc nasceu psicóloga. :-)

bjks