Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

sábado, 20 de outubro de 2007

A vida é caçar! E assim somos como reflexo da Lida.















Podia dissertar aqui numa viagem dialética bem típica sobre o que é esse caçar e essa caça. Mas resolvi optar pela simplicidade que o cotidiano me presenteou ontem. Percebi que ser simples toma ares de conceito, ou melhor, sinônimo de breguice.[risos]

Pois que a breguice venha!kkkkkkkk... Afinal, ando estranhando elogios e mais elogios no trabalho, na rua, entre amigos sobre minha pessoinha. Nem percebi direito a "mudança" (houve mudança mesmo?) na minha vestimenta, no meu estereótipo. Na verdade, sempre gostei de inovar, de não seguir tendências da moda ou estipular um estilo de me vestir ou me maquiar. O que eu sempre gostei foi de me sentir bem dentro e fora. Por isso, minhas roupas e meu jeito de me arrumar são muito versáteis. Quase tudo pode ser usado pelo dia ou pela noite e em quase todos os ambientes. Óbvio que, quase tudo![risos] Não uso minisaia ou shortinhos para trabalhar e nem decotes arrojados ou vestidos (que AMO!) próprios pra noites de Gala!!! Mas, sim... minha maneira, ou como os especialistas de moda costumam classificar, meu estilo é bem eclético no que tange à ocasiões, ambientes, horários. E ando desencavando peças antigas jogando-as com peças mais novas numa mistura do chic com o usual. Costume bem meu mesmo! Amo essa espécie de "inovar". É como dizer ao mundo: "não sou igual e consigo ser bem assim!".[risos]

Pois bem... vinha eu andando pelas ruas, após ter feito umas comprinhas, feliz e satisfeita, quando em frente ao teatro Deodoro da Fonseca estava a tocar, num show público (uma iniciativa cultural) uma banda que gosto muito de escutar justamente pela maneira eclética de seus shows! Eles tocam de tudo, menos alguns "derivados" de forró e pagode e axé. Tocam músicas dos mais variados estilos e dos anos 50, 60, 70, 80, 90 e atuais, tanto sucessos nacionais como internacionais. É a "Time Machine"!

Pois, lá fui eu feito uma alucinada, cantarolando até meu carro e refletindo na dialética da música. E isso incentivou ainda mais o up da minha energia, que dura até agora!kkkkkkk...

E pensei: "- Não é que a coisa é simples assim mesmo! A vida é isso aí... um tao de caçar (buscar) onde o objetivo (a meta) é sempre o Amor (em vários pontos encontrados). E a gente com nossa mainia de intelectualizar (racionalizar) as coisas, acabamos por denominar 'brega' o que fala diretamente. O que deve ser é fruto do porquê as perdas são dolorosas, nos dói a derrota, nos revolta nosso frustrar! Aí, tem que complicar pra enganar a dor e dizer que o certo é o errado. Assim, a sensação de minimizar menosprezando torna tudo, aparentemente, mais lógico e puxa a 'sardinha por nosso lado'. A tradução disso é neurose!kkkkkkk... E eu acho que tive foi um insigth!kkkkkkkkk..."

Pois bem... vamos lá: todo mundo cantando (um, dois três), já:

"Você pintou como um sonho
Eu fui atrás com tudo
Se isso são coisas do amor
Acredito que estou
Vivendo em outro mundo

Como é que eu posso dizer
Não!
Fugir do paraíso
Você me faz o que eu sou
Caça e caçador

Refrão:
E se um grande prazer
Rola pelo ar
Brilhante como
Uma estrela
Leve e louco
Sem pressa de acabar
A gente nem pensa na hora
Passa dia e noite assim
O amor não tem que ser
Uma história
Com princípio, meio e fim...

Quem guarda tudo em segredo
E
vive numa ilha
De repente o amor
Por destino ou dispor
Joga armadilha
Não há mistérios
Na paixão
Verdades ou mentiras
A gente é o que é
Homem ou mulher...

Refrão

Você olha pra mim
E é tão fácil mudar
Qualquer plano
Eu te quero assim
Cada vez mais te amo
Eu te amo...

Eu te amo!

Refrão"

[Caça e caçador – Fábio Jr.]

[Ando brega, né?!
kkkkkkkkk...
Acredite: eu tô achando que é
melhor ser simples que complicada!!!
Embora a dualidade exista em mim.risos]

.

Beijos caçados![risos]

7 comentários:

Drica disse...

concordo....mas ao mesmo tempo estamos tão acostumados a complicar as coisas que mtas vezes simplificar se torna mto complicado...hehehe... como disse o meu namorado Diego, do blog Tri Buenas, falando sobre a "normalidade": "Fuja do padrão e então sinta-se preso a ele!"... é realmente complicado sermos nós mesmos e ao mesmo tempo sermos "diferentes"....mas enfim não somos iguais e tão pouco "normais".... :)

Madalena Barranco disse...

Olá Paula, muito prazer! Obrigada pela sua visita ao meu bloguinho feliz - eu e minhas criaturas fantásticas gostamos de sua simpatia e maneira descontraída de lidar com a vida. Seu blog é a favor da vida e mostra uma escritora que não se prende às correntes de ferro (com direito a bolas nos pé - hehehe)da moda! Eu adooooro Fábio Jr. e não ligo para o que dizem, e sim para o que reflete bem em meu interior. Beijos e até breve.

ki-colado disse...

E aqui sou o primeiro a comentar...

Já andei notando que existe uma certa cumplicidade entre nós blogueiros no que tange a ver o bem alheio. Existem alguns blogs que quando o "bicho pega" em alguma situação ruim e conflitante, sou posto a margem, para que o meu comentário seja apreciado de uma forma mais reservada.

Ao notar tal fato me sinto na obrigação de passar o melhor de mim, pois sei que esperam grandes "coisas" vindas da minha pessoa.

E é por isso que o "metamorfose" passa até a criar metas via insigth para os que nele descrêem...

É ou não é Paula Calixto? (risos)

Paula Calixto disse...

É... menos narcisismo e mais ego, viu Ki-colado?![risos]

A moderação dos comentários ativada aqui no "Maçã do Topo", não foi só por conta de um certo episódio. Teve mais motivos implícitos!

A a "metamorfose" aqui é bem pessoal e evolutiva confirmada em várias publicações anteriores.[;)]

Beijos a todos!

Drica disse...

valeu pela visita e pelos comentários no meu blog...volte sempre! até! :)

Diego disse...

engraçado algumas vezes acho que ser brega é ser chique... tem um ponto desta relação que tudo se confunde... nesta imensa selva o que falta é lei!

Anônimo disse...

Gostei da maneira como ficou a dualidade.

=)