Santa, pecadora... Olhar pra dentro é ver-se de verdade: enxergar os paradoxos e aceitar[si].

Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Santa, pecadora, com o Amor na veia e a alma nas vísceras.

Contagem regressiva para Tainá pipocar!!!

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Infelicidade é viver para impressionar os outros?


Nós nascemos com um potencial infinito de realizações. Porém, à medida que vamos sendo educados, durante a infância e adolescência, perdemos a rota original de nossa própria existência.

Deixamos de fazer aquilo que nos realiza e passamos a agir em função dos outros: pais, professores e depois toda a sociedade. Nosso objetivo de vida nos é imposto e passamos a condicionar nosso sucesso ao aplauso das pessoas que nos cercam.

Para continuar merecendo essa aprovação, progressivamente abandonamos nossas vocações e passamos a realizar os desejos alheios.






A maioria das pessoas vive para ser admirada por uma multidão de olhos vorazes que, muito provavelmente, não se cruzarão mais. Quando elas param para perceber o rumo dado as suas vidas, verificam que apenas colecionaram cupons que não servem para nada.









Quem consegue realizar as metas de sua alma é feliz e desperta admiração devido a sua integridade como pessoa. Ao contrário, quem vive para ser admirado sempre será infeliz, porque está deixando de lado o compromisso consigo mesmo.

Não se consegue ser feliz valorizando mais a opinião dos outros do que seus próprios sentimentos. Alguns se sentem infelizes, mas raciocinam: “Se os outros estão aplaudindo é porque estou no caminho certo”. E avançam nas suas frustrações [às super-valorizando]. Você é mais importante do que qualquer julgamento alheio. Para ser feliz, viva para surpreender a si próprio, e não aos outros. “

Roberto Shinyashiki





O primeiro passo para realização plena é descobrir-se por dentro e dar vazão às suas potencialidades.

Concentre-se em brilhar por dentro e...

Só assim, sua verdadeira luz será propagada!


Auto-ajuda não é terapia, mas... ajuda![risos]

Lindo o texto do Roberto, não?


Beijos


6 comentários:

Um mundo novo aos corações corajosos! disse...

Opa, Top-Apple!

Eu tenho uma resistência com auto-ajuda, mas tenho que entender que muita gente se sente melhor com esse livros!
O texto faz sentido, sim!

E adorei ler Nietzsche (mesmo que curtinho) aqui!

Beijo!
E valeu pela visita.

Jana disse...

adorei o texto, e olha que eu não gosto muito dele não rs

beijos

Marcelo disse...

Ou, cuide de seu jardim que as flores nascerão e as borboletas virão...

Beijos, menina virginiana.

un dress disse...

vivemos em camadas de ilusão e auto-comiseração paula!!

no entanto podemos despir-nos devagar...

é do que tão bem falas.
todos aprendemos a andar sozinhos e a descobrir novos caminhos...

basta querer...:)


beijO

vanda disse...

Oi!
Adorei o texto...ao ler vi que mais de metade da minha vida foi isso que fiz...fiz as coisas que os outros queriam...e isso reflete agora trabalho naquilo que não gosto! deveria ter feitos outras escolhas...as minhas!!!

quem sabe se ainda dá para mudar!?

beijos

Mário Margaride disse...

Olá,

Obrigada pela visita ao Canto poético.

A auto-ajuda por vezes tem as suas vantagens. Outras, terá porventura inconvenientes. Como tudo na vida...

Gostei do texto!

Volta sempre

Beijinhos

http://avano2006.blogspot.com